O sumiço

15/10/2008

Estou sem internet. No trabalho, uma internet cheia de firewalls, lenta, chata. Em casa, comprei computador mas nao coloquei internet. Achei caro. A Net queria me cobrar 120 reais por uma internet cheia de coisas que certamente eu usaria muito pouco. Desisti… 1.200 reais por ano, agora não dá. Porém agora tenho computador. Micro-nômade é o nome dele, pois costuma acessar a internet em vários lugares menos em casa. Aí lá se foi minha alegria de visitar blogs, atualizar meu blog, escrever, fazer downloads, etc, etc, etc… Como me sinto solitária sem internet. Trata-se de uma mente que até se cansa de conversar com ela mesma. Acho que tive um pouquinho de síndrome do pânico. Bastava ficar sozinha em casa, a noite, e ficar rolando na  cama… com medo de tudo, com medo do mundo. Isso é estranho, ruim e muito louco… e eu não quero enlouquecer, não quero me sentir só, muito embora eu não saiba ao certo do que tenho medo. Traição? É, tenho medo disso. Medo de mim??? Medo da minha mente paranóica imaginativa e insana? Também. As duas coisas neste caso se complemetam.

Meus amigos sumiram, estou numa daquelas épocas em que observo muito mais do que ajo. Exceto no trabalho é claro, pois tenho tanta coisa para fazer que muitas vezes não sei nem por onde começar.

Enfim, terei me tornado uma pessoa sem graça? Sem contato com velhos amigos, vivendo parcialmente a vida social do marido… me sentindo cansada por trabalhar muito e acordar muito cedo todos os dias? Um pouquinho de cada coisa…

Eu sinto falta deste lugar, eu sinto falta do meu blog.

Espero que em breve as coisas melhorem para que eu possa escrever e visitar qualquer site na hora que eu quiser…

Esse blog ainda vai ter muita história para contar… ah, se vai!

One Response to “O sumiço”

  1. Tanto faz... Says:

    … O vento sempre muda …
    Quase nunca sopra a favor
    E o pior é que sempre no
    Canto dos olhos ha conspiração … se é que me intende
    Mas já é quase a hora sem ter o lugar
    Pois esses servos precisam de queda e ascensão

    Um novo herói irá surgir
    ((talvez dentro de vc)) e SE CONVENCER
    Que será eterno … Isso quando a chuva cair
    Sem Sonhos sinceros de poder pra corromper
    Porem esses Bodes expiatórios de um jogo sem fim
    continuarão com o sua diversão

    Quando a chuva cair e varrer as certezas
    ((quando a chuva cair))
    De suas frágeis raízes
    Quando a chuva cair …


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: